DetailPage-MSS-KB

Base de Dados de Conhecimento

ID do artigo: 225087 - Última revisão: terça-feira, 27 de novembro de 2007 - Revisão: 3.7

 
Aviso
Este artigo se aplica ao Windows 2000. Suporte 2000 termina em 13 de julho de 2010.Windows 2000 End-of-Support Solution Center (http://support.microsoft.com/?scid=http%3a%2f%2fsupport.microsoft.com%2fwin2000) é um ponto de partida para planejar uma estratégia de migração do Windows 2000. Para obter mais informações, consulte a Microsoft Support Lifecycle Policy (http://support.microsoft.com/lifecycle/) .

Nesta página

Sumário

Este artigo é um guia para escrever arquivos ADM personalizados para uso com o Editor de diretivas do sistema. Interface do Editor de diretivas do sistema, composta de todos os livros, caixas de seleção e caixas de texto que consulte quando você abrir um computador ou usuário da diretiva de grupo é criado com um modelo. O modelo de diretiva de sistema ou arquivo ADM, é um programa simples que instrui o Editor de diretivas do sistema quais livros, caixas de seleção e outros controles de entrada para apresentar o administrador.

Para obter mais informações sobre como gravar um arquivo ADM de diretiva de grupo, consulte o informe oficial ("Implementing Registry-Based Group Policy") no site da Microsoft:
http://technet.microsoft.com/en-us/windowsserver/2000/bb735344.aspx (http://technet.microsoft.com/en-us/windowsserver/2000/bb735344.aspx)

Mais Informações

Modelos Especifica a alteração do registro

Há dois modelos padrão incluídos quando você instalar o Windows NT. Elas são Common.adm e Winnt.adm. Esses arquivos usam variáveis de classe, KeyName e ValueName para permitir a você manipular atividades específicas de diretiva do Windows NT em computadores executando o Windows NT. A seguir está uma explicação sobre essas variáveis e como eles podem ser usados para criar seus próprios arquivos de diretiva.
  • CLASS (computador ou usuário)

    As palavras-chave de máquina ou usuário são usadas da seguinte maneira:

    • A palavra-chave de máquina controla as entradas na seção HKEY_LOCAL_MACHINE.
    • A palavra-chave do usuário controla as entradas na seção HKEY_CURRENT_USER.
    CLASS (computador ou usuário): CLASS A variável Especifica a chave de registro do identificador onde a diretiva é implementada. Existem duas chaves de identificador podem ser modificadas pelo editor de diretivas do sistema: LOCAL_MACHINE e CURRENT_USER. CLASS MACHINE Especifica uma alteração de diretiva LOCAL_MACHINE e CLASS USER Especifica uma alteração de diretiva CURRENT_USER.

    Quando você abre o arquivo Winnt.adm, a entrada CLASS MACHINE aparece no início. Cada diretiva depois que é implementado em HKEY_LOCAL_MACHINE e aparece como uma diretiva de computador na interface do Editor de diretivas do sistema. Abaixo da entrada CLASS MACHINE no arquivo Winnt.adm, o comando CLASS USER aparece. A partir deste ponto, as diretivas são implementadas em HKEY_CURRENT_USER e aparecem como uma diretiva de grupo ou usuário na interface do Editor de diretivas do sistema.

  • NOME DE CHAVE

    • Caminho restante para alterar um valor do registro
    KEYNAME: A variável KEYNAME Especifica o caminho restante para o local onde o valor do registro é adicionado ou alterado. Por exemplo:
    CATEGORIA!!Login_Policies
    DIRETIVA!!LogonBanner

    KEYNAME "Software\Microsoft\Windows NT\CurrentVersion\Winlogon"
    PARTE!!LogonBanner_Caption
    EDITTEXT
    VALUENAME "LegalNoticeCaption"
    MAXLEN 255
    PADRÃO!!LogonBanner_DefCaption
    PARTE FINAL
    PARTE!!LogonBanner_Text
    EDITTEXT
    VALUENAME "LegalNoticeText"
    MAXLEN 255
    PADRÃO!!LogonBanner_DefText
    PARTE FINAL
    DIRETIVA FINAL
    O local dessa alteração no registro é o hive HKEY_LOCAL_MACHINE como específicos pela variável CLASS. O local de chave, Software\Microsoft\Windows NT\CurrentVersion\Winlogon, é especificado pela variável KEYNAME.
  • VALUENAME

    • A palavra-chave Value for criada ou alterada no registro.

      • REG_SZ (padrão)
      • NUMERIC = alteração de dados DWORD ou BINARY
    VALUENAME: A variável VALUENAME Especifica os valores das chaves do registro que são adicionados ou alterados. No exemplo acima, a diretiva de faixa de logon requer duas alterações de registro. Valor LegalNoticeCaption é adicionado ou alterado e o valor LegalNoticeText é adicionado ou alterado no exemplo acima.

    Por padrão, o tipo de valor de seqüência é REG_SZ. Você pode substituir essa configuração, adicionando a palavra-chave NUMERIC. Todos os valores numéricos são digitados em um modelo de diretiva em um formato decimal. Em seguida, o valor é armazenado no Registro como DWORD e BINARY.

    Lembre-se de que os dados armazenados nesses valores são determinados por qualquer pessoa tipos nas caixas de texto no Editor de diretivas do sistema e o administrador.

Convertendo uma alteração de registro em ADM Keywords

O maior desafio pode ser localizando uma alteração no registro útil que você deseja distribuir. Por exemplo, levar a seguinte alteração permite que você mover a impressora pasta de spool. Lembre-se de que, antes de apontar o spool para uma nova pasta, essa pasta deve ser criada. Você pode fazer em seguida, a seguinte alteração no Registro:

Importante Esta seção, método ou tarefa contém etapas que informam sobre como modificar o registro. No entanto, sérios problemas poderão ocorrer se você modificar o registro incorretamente. Portanto, certifique-se de que você siga estas etapas cuidadosamente. Para proteção adicional, faça backup do registro antes de modificá-lo. Em seguida, você pode restaurar o registro se ocorrer um problema. Para obter mais informações sobre como fazer backup e restaurar o registro, clique no número abaixo para ler o artigo na Base de dados de Conhecimento:
322756  (http://support.microsoft.com/kb/322756/ ) Como fazer backup e restaurar o registro no Windows


  1. Inicie o Editor do Registro (Regedt32.exe).
  2. Localize o valor de DefaultSpoolDirectory sob a seguinte chave no Registro:
       HKEY_LOCAL_MACHINE\System\CurrentControlSet\Control\Print\Printers
    						
    Observação: A chave do registro acima é um caminho; foi quebrada para legibilidade.
  3. No menu Editar, clique em seqüência, digite X:\ Pathname (por exemplo, D:\Printing) e clique em OK.
  4. Feche o Editor do Registro.
Essa alteração no registro deve ser convertida em um formato de modelo para que HKEY se torna CLASS (computador ou usuário), chave se torna KEYNAME e VALUENAME (seguida por NUMERIC se o tipo é DWORD ou BINARY) se torna Value.

Criando um arquivo ADM

Arquivos ADM podem ser criados com qualquer editor de texto.

Crie um arquivo sintaxe bloco estrutura da linguagem *.adm a seguir:
  • Aspas termos com espaços
  • Estruturas de bloqueio tem um início e um final
  • Salvar com extensão *.adm (não .txt)
Para criar um modelo de arquivo ADM:
  1. Inicie o bloco de notas ou qualquer editor de texto para criar seu modelo.
  2. Crie um arquivo .adm seguir regras descritas acima. Por exemplo:
    MÁQUINA DE CLASSE
    CATEGORY "Como teste"
    POLICY "Alterar pasta de spool"
    KEYNAME "System\CurrentControlSet\Control\Print\Printers"
    PARTE "diretório de spool"
    EDITTEXT
    VALUENAME "DefaultSpoolDirectory"
    PARTE FINAL
    DIRETIVA FINAL
    CATEGORIA FINAL
Espaçamento não importa. Se um nome tem um espaço nele, ele deve estar entre aspas. Como uma boa prática, coloque todos os rótulos, keynames e valuenames com aspas. Lembre-se de salvar o arquivo com extensão .adm.

Carregando o modelo no Editor de diretiva do sistema

  1. Inicie a ferramenta Editor de diretivas do sistema. Clique em Iniciar, aponte para Programs, aponte para Ferramentas administrativas e clique em Editor de diretivas do sistema. Uma janela vazia é exibida. Se qualquer ícones são exibidos, clique em Fechar no menu arquivo. Você deve encerrar o programa como não é possível carregar o arquivo .adm outro enquanto arquivos de diretiva (ou registro) está aberto para edição ou fins de visualização.
  2. No menu Opções, clique em Modelo de diretiva para exibir a janela diretiva Template Options. Observe os dois arquivos .adm discutidos anteriormente já são carregados.
  3. Clique em Adicionar, vá para o local do arquivo a ser carregado, clique no arquivo, clique em Abrir e clique em OK.
  4. No menu arquivo, clique em Nova diretiva para exibir a janela do Editor de diretivas do sistema.
  5. Clique duas vezes em Computador padrão porque o arquivo .adm usa variável CLASS MACHINE e palavra-chave, que é o hive do Registro HKEY_LOCAL_MACHINE.
Agora é exibida a entrada How To Test criado anteriormente. Agora você pode definir essa entrada com uma diretiva do sistema afeta quaisquer computadores que você escolher.

Referências

Termos e abreviações

(SPE) o Editor de diretivas do sistema: A ferramenta necessários para carregar o arquivo .pol e aplicar arquivos .adm.

Arquivos ADM: Os modelos usados para alterar as configurações do registro atual.

!!Seqüências: as variáveis de texto no arquivo .adm.

CATEGORY: O "Books" de agrupamentos de diretiva.

POLICY: Usado para criar a entrada de caixa de seleção necessária para alterar valores do Registro.

PART: Usado para o controle de entrada de diretiva necessária.

O arquivo Winnt.adm cria a interface usada no exemplo acima. A lista a seguir explica as palavras-chave que criar a interface.

!!STRINGS: O são várias linhas que começam com "!!". O "!!" denota uma variável de seqüência e seguido pelo nome variáveis, !!stringname. As seqüências são definidas na parte inferior do modelo de diretiva. Se você rolar para a parte inferior do arquivo, você verá uma seção semelhante à seguinte:

[strings]
Sistema = sistema Windows NT
Login_Policies = logon
LogonBanner_DefText = User created text
A variável!!SYSTEM no corpo do modelo mapeia para o sistema Windows NT, que fica visível na interface. Ter uma seção de seqüências de caracteres permite que as descrições a ser substituído facilmente. Isso é particularmente útil quando você converter os arquivos em outros idiomas. Caso contrário, talvez você apenas deseja incorporar o texto no corpo do modelo.

CATEGORY: Isto define um agrupamento de diretivas semelhantes. A palavra-chave CATEGORY cria um catálogo expansível e recolhível na interface do SPE e CATEGORIES podem aninhar dentro do outro. CATEGORY é usado exclusivamente para fins organizacionais e você pode criar quantos ou tão poucos categorias como você exige.

POLICY: palavra-chave este cria a entrada de caixa de seleção que, se selecionado, cria uma instrução para uma alteração no registro. Se desmarcada, cria uma instrução para uma alteração do registro diferente (geralmente uma exclusão). Se a caixa de seleção não estiver disponível, ele não cria uma instrução no arquivo de diretiva.

Partes: algumas alterações de registro são realizado Implementando ou desmarcando uma diretiva. Outras alterações de registro são mais complexas. Por exemplo, para criar uma manchete de logon (diretiva), um administrador deve indicar o que acontece na barra de título da janela e o que acontece no corpo da janela. Essas partes adicionais de informações são reunidas pela variável de partes.

Parte: Isto cria um controle de entrada na parte inferior da caixa de diálogo diretiva. Uma grande variedade de janelas de controle pode ser criada com isso.

CATEGORY, POLICY e parte criar backbone da interface SPE. Cada é um recipiente. CATEGORY pode conter diretivas e categorias. As DIRETIVAS podem conter partes. Como esta é uma linguagem de programação estruturada, quando você começar um contêiner ou estrutura, você precisa encerrá-lo.

END - END CATEGORY, POLICY END e parte END: END um comando é necessário para designar o final de cada uma das respectivas estruturas. Você não precisa nomear a categoria está terminando. É determinado com base no nível de aninhamento. Inicial e final corretamente cada recipiente fornecem para as estruturas aninhadas corretas.

Tipos de partes: há vários tipos de partes, que permite que você seja criativo na criação de diretivas do sistema. Por exemplo, o texto e a legenda da faixa de logon são ambas as caixas de texto. Controle de entrada é criada com a palavra-chave EDITTEXT, quais próprio é modificado com as palavras-chave opcional MAXLEN (para designar o comprimento máximo de entrada) e DEFAULT (para criar um padrão de dados sugeridos para o administrador de entrada de). Portanto, a interface SPE é criada com CATEGORIES, DIRETIVAS e partes. Um administrador indica preferências Implementando ou desmarcando as diretivas e às vezes digitando informações em controles de entrada chamados partes.

A informação contida neste artigo aplica-se a:
  • Microsoft Windows NT Server 4.0, Terminal Server Edition
  • Microsoft Windows 2000 Server
  • Microsoft Windows 2000 Advanced Server
  • Microsoft Windows NT Server 4.0 Standard Edition
  • Microsoft Windows NT Server 4.0 Enterprise Edition
Palavras-chave: 
kbmt kbinfo KB225087 KbMtpt
Tradução automáticaTradução automática
IMPORTANTE: Este artigo foi traduzido por um sistema de tradução automática (também designado por Machine Translation ou MT), não tendo sido portanto traduzido ou revisto por pessoas. A Microsoft possui artigos traduzidos por aplicações (MT) e artigos traduzidos por tradutores profissionais, com o objetivo de oferecer em português a totalidade dos artigos existentes na base de dados de suporte. No entanto, a tradução automática não é sempre perfeita, podendo conter erros de vocabulário, sintaxe ou gramática. A Microsoft não é responsável por incoerências, erros ou prejuízos ocorridos em decorrência da utilização dos artigos MT por parte dos nossos clientes. A Microsoft realiza atualizações freqüentes ao software de tradução automática (MT). Obrigado.
Clique aqui para ver a versão em Inglês deste artigo: 225087  (http://support.microsoft.com/kb/225087/en-us/ )
Compartilhar
Opções de suporte adicionais
Fóruns de Suporte do Microsoft Community
Contate-nos diretamente
Localize um parceiro certificado da Microsoft
Microsoft Store